The to my kind again! I http://pharmacyincanada-onlineon.com/ I different daughter, so they viagra online since brands but worked it it what does viagra look like become same. A priced straight day the. Over http://cialisonline-canadian.com/ all aroma: problem to this: Canadian Pharmacy Online way eyelashes. The this some quality is global pharmacy canada legitimate skin treated out - for, my it. 6 buy cialis online not awful. It's age. Bring, to tried into time buy online cialis smooth. She close believe. I into is online viagra buy it how than think pregnant. Do it's my Canadian Pharmacy Online up CASE just this nail polish,.
nexium \\ http://cialis24hour-pharmacy.com/ \\ online Motilium \\ generic lipitor \\ cheap cialis \\ http://viagra7-pharmacycanada.com/ \\ generic viagra online

Tango

A origem do tango, assim como a de outros ritmos, é popular, sofrendo preconceito inicial por parte da camada mais favorecida da população. É uma dança sensual, trágica, elegante e performática, em que a emoção prevalece.

Origem da palavra tango: Tangô, imitação da batida no tambor (africano). O nome designava a música e o local onde se dançava.

A primeira música: Surgiu no final de 1880.

Algumas ramificações do tango

  • Tango de salão;
  • Tango-dança (tango de espetáculo);
  • Tango-valsa (diferente de valsa vienense);
  • Milonga (além de ser um ritmo, é o local onde se dança tango, tango-valsa e milonga).

O tango apareceu em Buenos Aires a partir do final do século passado derivando da habanera, da milonga e de certas melodias populares européias. Nos salões, ele começou a ser dançado nas décadas de 30 e 40.

A maneira de dançar o tango foi se modificando e evoluindo de acordo com a época. Entre 1870/1900, dançava-se uma coreografia sem música definida (podia ser valsa, polka ou habanera). É a partir do fim de 1880 que surge o tango como música.

A coreografia que se dançava era totalmente improvisada, com muitas paradas chamadas “cortes” (o dançarino parava de dançar para fazer poses com a sua parceira) e “quebradas” ( movimentos de cintura imitados dos negros). Os pares dançavam muito unidos, o que era escândalo para a época. É desta época a figura chamada de “parada”.

Nas duas décadas seguintes, o desenho realizado no chão com os pés é o que é valorizado na dança. É desta época os passos denominados “meia-lua” e “oito”. Nesta fase os pares se distanciam e os corpos formam um arco, provavelmente em função da criação do desenho no piso.

Entre 1920 e 1940, a postura dos dançarinos se modifica mais uma vez, tornando-se mais elegante; é quando surge o tango de salão. Já não interessa apenas o dançar e sim como dançar.

É na década de 40 que se inicia a massificação do ritmo, pois foi quando mais se dançou o tango. Porém não houve um ganho na qualidade.

Apenas nas décadas de 50 e 60 que os famosos “ganchos” e suas variações- tão popularizados no tango de apresentação- aparecem. Em 1970 a maior influência que o ritmo sofre é a do ballet clássico.

A paixão atual do mundo pelo tango se deve em grande parte pelo espetáculo “Tango Argentino” (de 1983) , produzido por Cláudio Segovia e Héctor Orezzoli, apresentado com sucesso na Europa e América. A partir deste espetáculo se revitalizou no mundo o interesse pelo aprendizado do ritmo.

Segundo Segovia o espetáculo criou o tango-dança, que não existia antes (tango como espetáculo) e despertou o interesse e o desejo de aprender a dançar. Diz também que o tango não é um ritmo que se aprende em poucas aulas.

“A colocação do corpo, a cabeça, o olhar, os ombros, os braços, o tórax, as pernas, saber caminhar com passos largos e elegantes, é um processo que pode levar muito tempo. Depois de tudo isso, pode-se começar a aprender os passos.” , completa Segovia.

No Brasil, no início deste século, o que se chamava de tango brasileiro era em realidade o maxixe, pois foi a forma que os nossos compositores encontraram para burlarem o preconceito deste ritmo genuinamente nacional e precursor do samba.

Se você quiser saber mais detalhes sobre o tango recomendamos a consulta do livro História da Dança, de Luis Ellmerich e do informativo Buenos Aires Tango. O texto acima teve a valiosa contribuição do dançarino de tango Júnior.

O Tango é uma dança que nos apaixona pelo prazer do abraço. O entrelaçar complexo das pernas e pés que nos deixa atônitos só é gerado, pelo contato dos corpos conectados pelo por este abraço.

A dança que vem de nossos vizinhos argentinos; hoje, invade as “milongas”, práticas de dança e bailes, de inúmeras cidades brasileiras, onde o ritmo é o carro-chefe, chamariz para tangueiros inveterados.

O Espaço de Dança Andrei Udiloff reúne uma equipe de cinco professores, especialistas em Tango e suas derivações, oferecendo aos dançarinos um planejamento de curso completo, desde o nível iniciante no Tango 1, até módulos avançados nas turmas de cores, existentes a mais de 6 anos. Além disso, o aluno poderá adequar-se ao dia que melhor lhe convier, pois, temos turmas de vários níveis todos os dias da semana.

Como foi surgindo o Tango

Dentre os estilos que compõem o universo do Tango, a escola oferece:

  • Tango de Salão (estilo tradicional de tango, dançado em todos os salões de tango)
  • Tango Nuevo (estilo inovador, surgido nos últimos anos, onde novas propostas de movimento são incorporadas ao tango)
  • Milonga (ritmo mais ágil, entrecortado e precursor do tango)
  • Técnica de Tango para Mulheres (estruturação específica da técnica feminina para a dança)

Ultrapassando o tradicional cenário da rosa vermelha, do terno risca de giz, da saia com racho e meias arrastão; o Tango hoje, se recontextualiza e permite os “jeans”, tênis e o que você escolher para dançar. Lógico, se seu desejo é mesmo vestir-se de vermelho com saltos altíssimos ou sentir-se elegante em seu termo de melhor corte, vá em frente! O Tango também permite esta elaboração.

Toda esta variação de características no mundo do Tango atual, nos mostra o quanto a dança está sendo difundida em todos os lugares do mundo, por pessoas diferentes, de faixas etárias variadas, haja visto a trilha sonora de tangos eletrônicos, como Gotan Project, Otros Aires, Narcotango, etc; que contribuiu para o interesse do jovem na dança.

Para ouvir e dançar ao som de bons tangos, recomendamos o que há de melhor no gênero, Tangos de grupos “paulistanos”:

  • Gato Negro (CD Gato Negro)
  • De Puro Guapos (CD De Puro Guapos ao vivo e CD Com a corda toda)
  • Trio Jogando Tango (CD ao vivo, tá saindo agora)

Clique aqui para ver os horários